Somente homens podem ser pastores


Por Tom Hicks |


Apesar de parecer cada vez mais na moda em nossos dias dizer que as mulheres podem ser pastoras, a Bíblia é clara que a liderança pastoral é restrita a homens biblicamente qualificados. Este artigo examinará 1 Timóteo 2:12-14, um dos principais textos bíblicos sobre liderança pastoral exclusivamente masculina e responderá a alguns dos esforços feministas evangélicos mais populares para minar o ensino desses versículos.


O Ensino Bíblico


Em 1 Timóteo 2: 12-14, Paulo diz:


“Não permito que uma mulher ensine ou exerça autoridade sobre um homem; em vez disso, ela deve permanecer quieta. Pois Adão foi formado primeiro, depois Eva; e Adão não foi enganado, mas a mulher foi enganada e tornou-se uma transgressora.”


Paulo escreve essas palavras no contexto de uma epístola pastoral. Ele está escrevendo a Timóteo para ensiná-lo sobre o ministério pastoral na igreja, o que significa que esses versículos precisam ser lidos sob essa luz. Eles se aplicam à liderança da igreja, especificamente à liderança pastoral.


Duas proibições


Paulo diz que as mulheres estão proibidas de ensinar ou exercer autoridade sobre os homens na igreja. É importante entender que Paulo não proíbe as mulheres de ensinar em todos os contextos (Tito 2:3; Atos 18:25-26), apenas de ensinar a Bíblia aos homens na igreja.


Observe que Paulo proíbe as mulheres de fazerem duas coisas distintas. Primeiro, as mulheres não podem ensinar a Bíblia aos homens na igreja. Em segundo lugar, as mulheres não podem exercer autoridade sobre os homens na igreja. Ensinar e exercer autoridade na igreja são as duas responsabilidades principais dos presbíteros, pastores ou bispos. Assim, as mulheres não devem exercer o cargo de pastor, mas também não devem desempenhar essas funções específicas de pastor sobre os homens na igreja.


Uma ordem positiva


Além das duas proibições de Paulo, ele dá uma ordem positiva às mulheres na igreja. Ele diz no versículo 12 que as mulheres devem “permanecer quietas”. Paulo não está dizendo às mulheres que elas jamais podem falar na igreja. Em vez disso, suas palavras devem ser entendidas no contexto. Ele quer dizer que quando se trata de ensinar e exercer autoridade sobre os homens na igreja, as mulheres devem “permanecer quietas” (1 Timóteo 2:12). Isso é semelhante ao ensino de Paulo em 1 Coríntios 14:34-35, onde ele diz:


“As mulheres devem ficar caladas nas igrejas. Pois elas não podem falar, mas devem estar em submissão, como também diz a lei. Se há algo que desejam aprender, pergunte a seus maridos em casa. Pois é vergonhoso uma mulher falar na igreja.”


Muitos entenderam mal esses versículos para dizer que as mulheres não deveriam falar na igreja. Mas o contexto de 1 Coríntios 14 é sobre falar em línguas proféticas e a necessidade de interpretá-las no culto de adoração da igreja. Nos versículos 34-35, Paulo está dizendo que as mulheres não devem se envolver em profecias ou na interpretação de profecias no culto de adoração da igreja. Nesses assuntos, elas devem "ficar caladas". Em outras palavras, elas não devem fazer parte do ministério de ensino da igreja, nem exercer autoridade sobre os homens, quando a igreja está reunida. Paulo está dizendo a mesma coisa em 1 Coríntios 14 que ele diz em 1 Timóteo 2.


Os dois fundamentos lógicos da ordem


Paulo fornece dois fundamentos distintos para sua ordem às mulheres para permanecerem quietas quando se trata de ensinar e exercer autoridade sobre os homens na igreja. A palavra “pois” no versículo 13 significa que se quisermos saber as razões pelas quais Paulo está argumentando da maneira que ele coloca devemos continuar lendo.


1. A ordem da criação é a primeira razão que Paulo dá para proibir as mulheres de ensinar ou exercer autoridade na igreja. Paulo não baseia seu comando em considerações culturais ou um problema particular com as mulheres na igreja de Éfeso. Em vez disso, ele fundamenta seu comando na criação. Ele diz que a razão pela qual as mulheres não devem ensinar ou exercer autoridade sobre os homens na igreja é: “Primeiro foi formado Adão, depois Eva” (1 Timóteo 2:13). Paulo quer dizer que Deus estabeleceu Adão como cabeça e autoridade de sua esposa, Eva. Deus designou os homens para liderar (1 Coríntios 11:3,8-9).


2. A natureza das mulheres é a segunda razão que Paulo dá para proibi-las de ensinar ou exercer autoridade na igreja. Paulo diz: “Adão não foi enganado, mas a mulher foi enganada e tornou-se transgressora” (1 Timóteo 2:14). Paulo está dizendo algo sobre a constituição natural de homens e mulheres, que os homens como classe são naturalmente mais preparados para ensinar e ter autoridade na igreja, mas as mulheres não. Wayne Grudem diz: “Este é de longe o ponto de vista mais comum na história da interpretação desta passagem” [1].


Mas por que as mulheres têm mais probabilidade de ser enganadas do que os homens? É verdade que nem todas as mulheres têm maior probabilidade de ser enganadas do que todos os homens e é verdade que alguns homens têm mais probabilidade de ser enganados do que algumas mulheres. Mas a maioria dos intérpretes na história da igreja entendeu essa passagem ensinando que, em geral, as mulheres têm mais probabilidade de serem enganadas do que os homens. Dan Doriani diz:


“Ambos os lados [feministas e tradicionalistas] observam que as mulheres tendem ao enredamento, o que implica uma relutância em ver e condenar verdades duras sobre seus entes queridos. Cientes de muitas exceções individuais à regra, eles [feministas e tradicionalistas] às vezes dizem que as mulheres geralmente têm mais interesse nas pessoas e menos interesse na análise racional imparcial das ideias. Mas a capacidade de avaliação imparcial e crítica é absolutamente essencial para discernir e erradicar a heresia, para cumprir a disciplina na igreja [...] Também podemos reconhecer a variedade na natureza humana, sem rotular nada de inferior ou superior. Nessa visão, como as mulheres geralmente focam nos relacionamentos mais do que na análise racional abstrata, o enredamento nos relacionamentos pode comprometer a disposição da mulher de erradicar a heresia na igreja” [2].


Assim, Paulo explica que as mulheres não devem ensinar a Bíblia ou exercer autoridade sobre os homens na igreja por razões da ordem da criação e da natureza humana. Deus criou primeiro Adão e depois Eva, estabelecendo Adão como cabeça e autoridade sobre sua esposa. Além disso, Eva foi enganada pela serpente, não Adão.


Algumas objeções evangélicas feministas


Tendo examinado brevemente o significado da passagem, vamos considerar algumas das principais interpretações errôneas feministas de 1 Timóteo 2:12-14. A maioria delas foi extraída do livro Countering the Claims of Evangelical Feminism de Wayne Grudem e as referências das páginas citadas abaixo são desse livro.


Mulheres Ensinavam Doutrina Falsa [3]. Algumas feministas afirmam que as mulheres estavam ensinando falsas doutrinas em Éfeso e é por isso que Paulo as proibiu de ensinar. As feministas argumentam que a ordem de Paulo era situacional e não se aplica a nós hoje. O problema com essa visão é que os únicos falsos mestres mencionados em 1 Timóteo são os homens, Himeneu, Alexandre e Fileto (1 Timóteo 1:19-20; 2:17-18). Outro problema com essa visão é que ela torna Paulo injusto. Teria sido errado proibir todas as mulheres de ensinar porque algumas estavam ensinando doutrinas falsas. Além disso, se Paulo proibiu todas as mulheres de ensinar porque algumas estavam ensinando heresia, então a consistência exigiria que Paulo também proibisse todos os homens de ensinar porque alguns homens também ensinavam heresia (1 Timóteo 1:19-20).


As mulheres não foram educadas [4]. Algumas feministas argumentam que Paulo proíbe as mulheres de ensinar aos homens na igreja em Éfeso em 1 Timóteo 2 porque elas não tiveram uma educação formal. O problema mais gritante com essa visão é que a Bíblia em nenhum lugar requer educação formal como pré-requisito para o ensino na igreja. Além disso, a maioria das pessoas nos dias de Paulo tinha educação básica, mas poucos homens ou mulheres tinham qualquer educação além disso. Portanto, se Paulo proibia as mulheres de ensinar na igreja por falta de educação, ele também deveria proibir os homens.


Esposas não devem ensinar ou ter autoridade sobre seus próprios maridos [5]. Alguns argumentaram que Paulo está apenas proibindo as esposas de ensinar ou exercer autoridade sobre seus próprios maridos em 1 Timóteo 2:12-14. Embora as palavras gregas para “homem” e “mulher” possam ser traduzidas como “marido” e “esposa”, isso é altamente improvável nesta passagem por dois motivos. Primeiro, o contexto desses versículos é uma epístola pastoral na qual Paulo explica a conduta apropriada dentro das igrejas, não para os casamentos. A passagem em questão vem logo antes de uma discussão sobre oficiais da igreja local, portanto, faz mais sentido interpretar 1 Timóteo 2:12-14 como se referindo à liderança da igreja. Em segundo lugar, quando as palavras gregas para “homem” e “mulher” devem ser traduzidas como “marido” e “esposa”, o contexto fornece pistas que indicam tal tradução. Esta passagem não contém tais pistas.


Uma ordem temporária [6]. Algumas feministas argumentam que quando Paulo diz: “Eu não permito” em 1 Timóteo 2:12, ele está usando a ordem no verbo no tempo presente, que deve ser entendida como “eu não permito agora.” Mas esse argumento não compreende como Paulo usa as ordens no tempo presente. Existem muitos exemplos de Paulo usando ordens no tempo presente que estão longe de ser temporários. “Exorto [tempo presente] que façam súplicas” (1 Timóteo 2:1); “Eu apelo [tempo presente] a vós, pois, irmãos, pela misericórdia de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo” (Romanos 12: 1); “Eu, portanto, um prisioneiro do Senhor, exorto [tempo presente] a você que ande de uma maneira digna da vocação para a qual você foi chamado” (Efésios 4: 1). Claramente, o tempo presente de uma ordem não significa que ela seja temporária.


Ninguém proíbe joias ou tranças [7]. Algumas feministas argumentam que a maioria dos intérpretes considera as instruções de Paulo sobre joias e tranças nos versículos 9 a 10 como não mais aplicáveis ​​hoje. Portanto, as feministas dizem, não devemos aceitar as instruções de Paulo nos versículos 11-14 sobre as mulheres não ensinarem ou terem autoridade sobre os homens como aplicável hoje. O problema com essa visão é que 1 Timóteo 2:9-10 não proíbe joias ou cabelos trançados. Diz que as mulheres não devem se “enfeitar” com roupas, como joias ou tranças, mas com piedade. Paulo está alertando contra as mulheres que fazem de suas roupas seu adorno (literalmente kosmos ou “mundo”), ao invés de piedade e boas obras. Esses versículos se aplicam tanto hoje quanto na época de Paulo.


As mulheres não eram respeitadas como líderes religiosas. Algumas feministas argumentaram que Paulo proibia as mulheres de ensinar e exercer autoridade em Éfeso para acomodar a igreja à cultura de sua época. Eles argumentam que as mulheres nos dias de Paulo não seriam aceitas como educadoras religiosas, então, para evitar ofender os homens, Paulo proibiu as mulheres de ensinar a fim de alcançar os homens da cultura para Cristo. Um grande problema com essa visão é que as mulheres eram líderes religiosas aceitas nos dias de Paulo. As sacerdotisas pagãs eram comuns. Outro problema é que sugere que a igreja deve acomodar suas práticas às falsas e prejudiciais crenças do mundo.


O problema geral com todas essas interpretações errôneas feministas é que elas surgem de especulação ou conjectura subjetiva e carecem de qualquer apoio real do texto ou do pano de fundo histórico. Além disso, todas essas interpretações errôneas ignoram os fundamentos reais que o próprio Paulo fornece para a ordem que ele dá, que envolve as realidades fixas da ordem da criação e da natureza humana.


Portanto, concluindo, a Bíblia é clara que apenas homens devem ser pastores em uma igreja local e apenas homens devem cumprir os deveres de ensinar a Bíblia aos homens e exercer autoridade sobre os homens dentro da igreja. As razões para as interpretações feministas evangélicas de 1 Timóteo 2:12-14 não surgem do texto em si, mas de compromissos alheios e não encontrados na passagem.