OUÇA! Um guia prático para ouvir sermões.

Atualizado: 17 de Jul de 2019

por João P. Lima |


“Mas que título bobo”, você pode pensar. Quem escreveria um texto com um título desses? É assim mesmo que Christopher Ash inicia o seu livro “Ouça!” (Listen up! A pratical guide to listening to sermons). Podemos pensar que este pode ser um tema inútil uma vez que estamos acostumados a pregar, mas não a ouvir. E é neste momento que você percebe que este artigo/resenha é para você, pregador. Nós que pregamos a Palavra semana após semana nos acostumamos a fazê-lo e esperamos que os ouvintes da mensagem, depois de muito trabalho no texto, escutem com atenção a pregação que vamos transmitir. Mas e quando assumimos o lugar de ouvintes, como agimos? Geralmente já estamos com a mente saturada de toda homilética, hermenêutica, teologia sistemática e bíblica que a nossa primeira ação pode ser a de um espírito crítico ao ouvir um sermão. Mas antes que você pense qualquer coisa, é importante avaliarmos aquilo que outro está pregando, afinal esperamos ouvir um sermão bíblico. O problema é quando este espírito crítico está ligado à nossa própria vaidade como pregador, pois lá no fundo do nosso coração nós cedemos ao pensamento egoísta de que “ninguém pode pregar melhor do eu”. O perigo é que caímos exatamente no pecado que condenamos, o pecado de não ouvir atentamente a Palavra.


Jesus disse, “vejam como vocês ouvem” (Lc 8.18). Jesus está dizendo que a forma como ouvimos é importante. Se você ouvir de uma maneira “ao que tiver, mais será dado”; mas se ouvir de outra maneira “ao que não tiver, até aquilo que julga ter lhe será tirado”. Em outras palavras, a maneira como ouvimos a pregação da Palavra é uma questão de vida ou morte, de ganho ou perda. Christopher Ash chega a dizer que ouvir um sermão é um negócio arriscado, pois pode prejudicar ou nos levar para mais perto da salvação final. Se pregar é um trabalho sério, ouvir também é. E ouvir não vale apenas para aqueles que sempre estão sentados nos bancos da igreja, mas também para pregadores que precisam ser alimentados pela Palavra ouvindo sermões. Como isso é possível? Neste pequeno livro, Christopher Ash nos mostra sete ingredientes práticos para ouvirmos sermões.


1. Tenha a expectativa de que Deus irá falar. Deus nos deu a sua Palavra e é por ela que Ele governa a sua igreja. Ouvir um sermão com a expectativa de que Deus irá falar porque temos a expectativa de que o pregador anuncia a Palavra debaixo da autoridade de Cristo, sempre com precisão e em oração. Quando a Bíblia é aberta e proclamada com fidelidade, Deus fala. Portanto, não ouvimos na expectativa de que o pregador nos dê alguma ideia nova ou adicionais ao texto, mas apenas aquilo que já está no texto e que ainda não havíamos enxergado. A Palavra de Deus é viva e por causa disso podemos sempre esperar que Deus fale quando esta Palavra é proclamada com verdade e fidelidade ao que Deus já revelou.


2. Admita que Deus conhece mais que você. É interessante como Christopher Ash escreve a segunda dica dessa forma, o que leva a pergunta – “o que ele quer dizer com isso?”. Aqui ele toca em algo muito importante, ou seja, na forma como nos aproximamos para ouvir. Se somos pregadores este talvez seja nosso maior desafio; e qual seria? Se aproximar de um sermão para ouvi-lo com humildade. Precisamos de humildade para pregar, para não nos sentirmos superiores aos outros, e aí percebemos que a humildade é também necessária na hora de ouvirmos quando outro está pregando. Mas na maioria dos casos não somos assim. Por isso, ao nos aproximarmos para ouvir, não devemos apenas esperar que Deus fale, mas também que Ele nos transforme. Ouvir um sermão com humildade é ouvir na expetativa de que a Palavra me chame ao arrependimento dos meus pecados e não para me dizer que está tudo bem comigo. Porque a Palavra não me torna confortável ou complacente com o meu pecado e sim me desafia a mudança de direção, ação e motivação. Christopher Ash diz que ouvir humildemente é admitir que a Bíblia está certa e eu estou errado, que Deus é Deus e que eu preciso mudar. Ouvir humildemente um sermão é admitir que eu preciso da graça de Deus para quebrantar meu soberbo e orgulhoso coração.


3. Examine se aquilo que o pregador diz é o que a passagem diz. Pense agora como um pregador comprometido com Palavra; o que as pessoas esperam quando pregamos? Ela esperam que aquilo que estamos anunciando seja de acordo com a Palavra que lemos. Como este exame é feito? Conferindo na Palavra aquilo que está sendo proclamado. Quando nos sentamos para ouvir um sermão também não é diferente. Para sermos alimentados pela Palavra precisamos examinar se aquilo que estamos ouvindo está de acordo com revelação de Deus. Nas palavras de Christopher Ash, precisamos checar se o pregador está utilizando a única autoridade disponível a ele, autoridade que não é dele, mas derivada da autoridade que vem do texto que está sendo ensinado. Se aquilo que o pregador está ensinando vem da Bíblia, então eu humildemente me submeto a ela. Mas se aquilo que o pregador ensina não vem da Bíblia, então aquilo que ele está ensinando não passa de uma mera opinião de um ser humano contra outro. Esta última opção revela algo muito comum, o erro que muitos pregadores cometem de usar um texto qualquer da Bíblia como ponte para dizer aquilo que eles diriam de qualquer forma. Qual é o perigo? Estar cativo não a Palavra, mas a uma opinião. Portanto, ore e peça a Deus para abrir sua mente e coração para ouvir a sua Palavra, de modo que, você perceba com clareza se aquele sermão é bíblico ou não.


4. Escute o sermão na igreja. Parece engraçado, mas não é. Parece óbvio, mas para algumas pessoas não é. Principalmente para aquele que prega todos os finais de semana, ouvir um sermão só é possível pela internet. Mas por que é importante ouvir um sermão na igreja? Christopher Ash diz o seguinte, que igreja significa uma assembleia de homens e mulheres que fisicamente estão reunidos. Na “igreja virtual” não cabe este significado. A igreja se reuni sob a Palavra a Deus, para que a igreja seja, em comunidade, moldada pela Palavra. O propósito de Deus não é formar apenas grupos individuais de cristãos, mas um povo semelhante a Cristo. Para Christopher Ash ouvir um sermão na igreja é importante, pois se ouvimos juntos a Palavra, respondemos juntos à Palavra. E a Palavra proclamado com fidelidade molda e forma o povo de Deus reunido. Qual é aplicação mais simples para pregadores? Pregadores da Palavra precisam ouvir sermões na igreja para que o seu amor pelo povo de Deus e o seu desejo de estar reunido com o povo de Deus seja nutrido pela Palavra.


5. Ouça sermões semana após semana. É importante que aqueles que pregam sejam alimentados sempre. Christopher Ash fala da necessidade de estarmos na igreja semana após semana ouvindo sermões. Eu entendo que muitos pregadores não conseguem fazer isso por causa de suas agendas, mas sempre que possível procure ouvir outros pregadores. E todos os demais princípios se aplicam aqui. Queremos ouvir a voz de Deus quando o pregador anuncia fielmente a Palavra, mas ouvindo sermões semana após semana eu percebo que ouvir a Palavra anunciada com fidelidade não significa que sempre vou ouvir aquilo que eu quero. Vamos colocar desta forma, “a Bíblia não se destina a dar-me uma séria de correções instantâneas. A Bíblia é o instrumento de Deus para moldar a minha mente e o meu coração para ser semelhante a Cristo”. Ou seja, ouvir sermões constantemente significa que nem sempre eu vou ouvir aquilo que eu acho que preciso, mas sim aquilo que Deus quer que eu ouça. Ser semelhante a Cristo quer dizer que gradualmente a Palavra está trabalhando em nosso caráter, nossas afeições, nossos desejos, nossas decisões e em nossas vidas.


6. Faça o que a Bíblia diz. Quando você prega o que você espera que os seus ouvintes façam? Isso mesmo, se você se preocupa em pregar fielmente a Palavra é natural que você espere de seus ouvintes uma resposta. O propósito do sermão não é mostrar qualidades do pregador ou promove-lo, mas transformar pessoas à semelhança de Cristo. O sermão não é para entreter. Nós vivemos em uma cultura de entretenimento e a diversão está sempre por perto. Ash diz que a razão porque pessoas param de ouvir sermões, é que se elas estão ouvindo sermões para entreter acabam percebendo que existe diversão melhor em outro lugar. Christopher Ash continua dizendo que é raro um sermão ser capaz de rivalizar com os efeitos especiais de um filme e que na busca desesperada por entretenimento, para manter pessoas atentas, pregadores muitas vezes falham porque são tentados a tentar rivalizar com as várias opções que temos de diversão na nossa cultura. Mas como essa dica se aplica a nós? Na subcultura do cristianismo contemporâneo estão os “pregadores de sucesso”, que é uma pequena parcela de homens cheios de estilo e frases de efeito moral, aquele tipo de pregador que você é capaz de ouvir por horas por causa da quantidade de histórias e da empolgação que ele pode te dar. Fazer o que a Bíblia diz é parar de percorrer igrejas como se estivéssemos comprando em um shopping até encontrar aquela que se encaixe no meu perfil e estilo. Isso acontece porque muitas vezes o nosso alvo ao ouvir um sermão é ser divertido e não transformador. A razão é que não queremos ser ensinados, repreendidos, corrigidos e treinados na justiça, queremos mesmo é ser adulados e nos sentirmos confortáveis em nosso erro. A resposta à um sermão não é esperada apenas dos ouvintes semanais, mas também daquele que prega.


7. Faça o que a Bíblia diz hoje – e regozije-se! Sempre que a Palavra é anunciada nós somos chamados a se arrepender novamente a confiar em Cristo. Quando nos tornamos cristãos não abandonamos o arrependimento e a fé, pelo contrário, entramos em uma vida de constante arrependimento e fé. Respondemos imediatamente a Palavra voltando o nosso coração para longe do pecado (arrependimento) e para mais próximo de Cristo (fé). Nenhuma parte da Bíblia está lá simplesmente para nos informar, ou para nosso interesse apenas; a Bíblia sempre nos chama a voltar-se para Deus com uma fé renovada, uma motivação transformada, um comportamento diferente ou um sistema valor alterado para aquele que é segundo a Palavra. Ouvir a um sermão e não responder é pior do que não ouvir. Pois todo sermão nos aponta para salvação tanto quanto para a condenação. “O SENHOR, seu Deus, circuncidará o coração de vocês e o coração dos seus descendentes, para que vocês amem o SENHOR, seu Deus, de todo o coração e de toda a alma” (Deuteronômio 30.6). Por que ouvimos a um sermão? Para amar a Deus acima de todas as coisas e com todo o nosso coração.


Ouça! Pode ser um desafio e também algo extremamente desconfortável, mas pode ser maravilhoso, pois quando a Bíblia é aberta e pregada com fidelidade, Deus fala. Christopher Ash encerra dizendo que podemos descobrir que ouvir sermões pode ser uma experiência de profunda alegria. É maravilhoso saber que o Deus vivo, que fez o universo, nos fala hoje e nos chama, pela sua Palavra, para uma comunhão deliciosa e prazerosa com Ele. “Deus ama nos transformar” de modo que o nosso coração sempre se volte para Ele e nada mais, e Deus o faz pela pregação da sua Palavra.


João P. Lima


Extraído e adaptado do livro Listen Up! – A pratical guide to listening to sermons – de Christopher Ash; The Good Book Company, 2009 – United Kingdom.



João P. Lima. Bacharel em teologia pelo Seminário Teológico Presbiteriano Rev. Denoel Nicodemos Eller. Aluno do Pregue a Palavra/BH.

Pastor da Igreja Presbiteriana Simonton - Conselheiro Pena - MG




#pregaçãoexpositiva

#ministériopastoral

496 visualizações1 comentário

Prega a Palavra, insiste a tempo e fora de tempo, aconselha, repreende e exorta com toda paciência e ensino

2 Timóteo 4.2

© 2020 pela Associação Bíblica Pregue a Palavra
R. Santo Rosa, 96 - Jardim Alvinópolis, Atibaia - SP - Brasil, 12943-050

CNPJ: 15.156.924/0001-59 

Secretaria: (11) 4412.6679

Entregas de compras em até 15 dias

  • Facebook Clean
  • White YouTube Icon