O que fazer com as citações do Antigo Testamento no Novo Testamento?

Atualizado: 17 de Jul de 2019


por Nelson Galvão |


Ao ler o Novo Testamento (NT), você já deve ter se deparado com citações do Antigo Testamento (AT) feitas pelos autores do NT. Se você é um leitor atento das Escrituras, algumas citações parecem ser estranhas! Isso porque em alguns momentos os autores do NT parecem fazer citações fora do contexto do texto vetero-testamentário.


Diante disso, precisamos enfrentar a pergunta: os autores do NT interpretaram o AT em sintonia com o sentido geral do AT? Outros questionamentos se derivam deste: Em que medida a citação do AT foi feita de forma livre, mas manteve-se fiel à ideia do texto original? Alguns usos que o NT faz do AT não alteram o texto hebraico a fim de comprovar um cumprimento específico?


Existem inúmeras abordagens para tentar responder a estas perguntas. O estudioso G. K Beale[1] apresenta um levantamento dessas posições e apresentaremos resumidamente a seguir.


A primeira posição defende que os autores do NT foram influenciados significativamente pela interpretação judaica do AT. Esta posição é defendida principalmente por Earle E. Ellis, Richard Longnecker, Walter Dunnett [2], segundo a qual, Jesus e os autores do NT se utilizaram de métodos não contextuais para a interpretação do AT, sendo influenciados pela exegese rabínica do Midrash, Qunran, Talmude ou os Targumim.


De acordo com Longenecker:


"Esta escola tenta apresentar o uso do Novo Testamento sobre o Antigo como um reflexo do progresso da revelação em Jesus Cristo ("os óculos cristológicos" de escritores do Novo Testamento) e especialmente como fazer uso de métodos de interpretação judaica do primeiro século e exegese (conceitos como midrash, pesher e regras de Hillel de interpretação)"[3].


A segunda posição afirma que os autores do NT tiraram sua intepretação do AT de um suposto “Livro-testemunho”. Esta posição é defendida por J. R. Harris[4]. De acordo com Harris, o livro