A Benção de ser e ter Pastor

Atualizado: 17 de Out de 2018


De vez em quando, troco algumas ideias com minha esposa sobre o nosso ministério, principalmente quando sou abordado por uma ovelha que, além de despejar aqueles elogios que todo pastor gosta, ressalta a nossa importância em sua vida e em sua família.

Logo vem o pensamento: será que sou tudo isso, será que as pessoas veem em mim alguém especial?


Isso me leva a pensar, ainda mais seriamente, sobre a responsabilidade do ministério pastoral, a importância do chamado e o quanto preciso ser acessível e sensível às necessidades das ovelhas.


Quando ouço, depois de um tempo, de como Deus me usou em uma visita e dos conselhos que mudaram a vida de uma família, a “ficha cai” e passo a avaliar meu dia-a-dia com as ovelhas, e chego à seguinte conclusão: Aquele problema da ovelha que para mim era tão simples, para ela era algo muito complexo.

  • Ovelhas são naturalmente inseguras, frágeis e submissas.

  • Até mesmo uma folha de papel voando pode assustá-las.

  • Uma tempestade leva-as ao pânico.

  • Um incêndio, por exemplo, pode destruir um rebanho inteiro porque elas ficam aterrorizadas demais para fugir.

  • Por serem inseguras e teimosas, as ovelhas sempre escapam do rebanho, colocando em risco suas próprias vidas, pois sozinhas, longe do pastor e do grupo, elas ficam vulneráveis aos lobos.

É por isso que minha sensibilidade precisa alcançar e compreender a tristeza e o medo de uma ovelha.

Triste é saber que uma ovelha que estava sendo atacada pelos lobos, “esqueceu” que tinha pastor e procurou outra ovelha para ajudá-la, e as duas acabaram feridas.

Andando, juntamente com um pastor pela cidade de El Cristo em Cuba, fui convidado por ele para visitar uma família. Disse-me ele:


Ali mora uma família pastoral, e continuou: O patriarca da família, que foi um grande pastor, já morreu mas deixou um legado que me encanta. A família me recebe sempre com amor e altíssima consideração.

Entramos na casa e logo pude ver naqueles rostos a alegria e a satisfação em nos receber. Quando a filha mais velha soube que eu era um pastor do Brasil, acentuou-se ainda mais a beleza da recepção.


Logo alguém sugeriu que fosse feito um cafezinho cubano. Prontamente, a filha mais velha disse:


- Durante todo tempo em minha casa, eu sou uma Marta. Agora que tenho dois pastores em minha casa eu sou Maria e não abro mão de beber das experiências e conselhos desses dois homens de Deus, principalmente do pastor brasileiro. Agora não é hora de fazer nada e sim de curtir a presença deles (Lucas 10: 38-41). O cafezinho realmente não saiu, mas foi uma das mais abençoadas e ricas visitas que fiz naquele país.


Nós, pastores, somos importantes para as nossas ovelhas, pois elas nos veem como homens chamados, separados por Deus para cuidá-las. É preciso que nos conscientizemos que foi o Espírito Santo que nos colocou onde estamos. Foi Deus quem escolheu o rebanho para que cuidássemos. A importância não está em nós, mas na escolha e capacitação de Deus. “Atendei por vós e por todo sobre qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue.” Atos 20.28.


#antoniomendes

#ministériopastoral

371 visualizações

Prega a Palavra, insiste a tempo e fora de tempo, aconselha, repreende e exorta com toda paciência e ensino

2 Timóteo 4.2

© 2020 pela Associação Bíblica Pregue a Palavra
R. Santo Rosa, 96 - Jardim Alvinópolis, Atibaia - SP - Brasil, 12943-050

CNPJ: 15.156.924/0001-59 

Secretaria: (11) 4412.6679

Entregas de compras em até 15 dias

  • Facebook Clean
  • White YouTube Icon