O que significa pregar a Cristo? Entrevista com o pastor Colin S. Smith (parte um).

por Kevin Halloran



Kevin Halloran, da Leadership Resources Internacional (instituição parceira do Pregue a Palavra), sentou-se com seu pastor, Colin S. Smith, para falar sobre o que significa pregar a Cristo. Confira a transcrição abaixo.


O apóstolo Paulo escreveu em 1 Coríntios 1:23: “Pregamos Cristo crucificado” e alguns versículos depois, ele disse que estava determinado a “não saber nada entre os coríntios, exceto Jesus Cristo e Ele crucificado” (1 Coríntios 2: 2). Mas o que isso significa? E como um pregador pode pregar fielmente a Cristo?

Comigo está meu pastor, Colin Smith, da Igreja Evangélica Livre de Orchard, e o autor de Momentum: Pursuing God’s Blessings Through the Beatitudes, Heaven How I Got Here: The Story of the Thief On The Cross, e mais recentemente, Heaven So Near So Far: the Story of Judas Iscariot.


Bem-vindo, pastor Colin.


CS: É legal estarmos juntos, Kevin.


KH: O que significa pregar a Cristo, e por que é tão importante?


CS: Bem, acho que, antes de tudo, significa mais do que colocar Jesus em um sermão. Às vezes ouço caras dizendo isso. Como vou colocar Jesus no sermão tem que ser mais do que obter alguma referência a Jesus no sermão. Acho que deve ser mais do que pregar sobre Jesus. Mesmo se dissermos as grandes coisas sobre Jesus - é possível dizer até as grandes coisas sobre nosso Senhor Jesus, Sua morte e Sua ressurreição de uma maneira que se desapega das pessoas - podemos estar apenas dando informações sobre o Senhor Jesus Cristo. Mas quando Paulo diz que está determinado a pregar a Cristo, o que ele está dizendo não é simplesmente: “Conte às pessoas sobre Jesus”, mas, na verdade, “Apresente Jesus e tudo o que Ele é, e tudo o que Ele realizou e tudo o que Ele oferece diante das pessoas, em tais coisas de uma maneira que eles realmente são confrontados por um Cristo vivo que os alcança na pregação.”


Cristo fala na proclamação de Sua Palavra. E assim, quando Cristo é apresentado na proclamação de Sua Palavra, as pessoas são capazes de discernir a própria voz de Deus falando com elas. É por isso que é tão importante que proclamemos Cristo e não falemos simplesmente da Bíblia de uma maneira que se desapegue daquele que está no centro de toda a Palavra de Deus.


KH: Cristo usa a tarefa de pregar para alcançar o público - eu amo como você disse isso. Ao pensar em pregar a Cristo, quais são alguns princípios que você usa ou tem em mente?

CS: Bem, uma das coisas que aprendi logo no ministério na Inglaterra. Então, eu tenho que colocar isso de uma maneira em inglês. Um grande pregador inglês disse uma vez que há uma estrada de todas as vilas e povoados do país que leva a Londres. Eu pensei um pouco sobre isso. É verdade, é claro, de qualquer outro destino principal. Você sabe que existe uma estrada de todos os lugares da América que nos leva a Chicago, eu acho.


O ponto é que, onde quer que você esteja na Bíblia, há um caminho que leva a Jesus Cristo. E assim, meu trabalho como pregador, ao entrar em qualquer parte das Escrituras, é discernir onde está esse caminho - qual é esse caminho. Pode ser uma estrada bastante extensa. Pode ser um longo caminho. Pode não ser apenas uma conexão; pode haver algumas junções ao longo do caminho. Mas sempre há um caminho que nos leva a Jesus Cristo. Minha tarefa é encontrar esse caminho e ajudar as pessoas a atravessá-lo para que sejamos levados aos pés de Cristo. Isso é algo que os apóstolos sempre fizeram.



Alguns anos atrás, na nossa igreja, um dos nossos grupos disse: “Vamos passar pelo Novo Testamento e tentar identificar o máximo de referências possível à pregação, depois ver o que foi pregado”. Começamos a passar por Atos. Depois, passamos pelo resto do Novo Testamento e das Epístolas. Em cerca de uma hora e meia, anotamos 39 referências à pregação ou proclamação. Em todos os casos, o que descobrimos foi que Senhor Jesus Cristo foi proclamado, ou Sua morte, ou Sua ressurreição, ou o próprio evangelho. Sempre foi a mesma coisa. Os apóstolos se entregaram a essa proclamação de Jesus Cristo. Essa é a tarefa. Onde quer que estejamos na Bíblia, é onde começamos. A proclamação de Cristo é onde temos que terminar.


KH: Isso é muito útil. Que diferença, então, a pregação de Cristo faz para os que estão no banco?


CS: Se Cristo não está em um sermão, então que bem isso fará? Quero dizer, nossa esperança e nossa vida estão em Jesus Cristo. Portanto, um sermão sem Cristo é realmente um sermão sub-cristão. Pode definir alguns princípios morais, pode chamar uma pessoa para viver uma vida melhor, mas de que serve um chamado para viver uma vida melhor se uma pessoa não tem o poder de viver a vida melhor? Esse poder vem de Jesus Cristo. A experiência de uma pessoa no banco, se Cristo estiver faltando na pregação, será que basicamente eles estão sendo desafiados à uma demanda que está sendo apresentada. Aqui está o que você precisa fazer; vá se esforçar mais, vá viver melhor no final do dia.


Mas então você se depara com o fato de a Lei era impotente para fazer; por isso Deus, deu o Seu Filho Jesus Cristo. O ponto principal do evangelho é que ele nos dá o que a Lei exige de nós. Se você tira Cristo, simplesmente fica com uma demanda. É por isso que as pessoas muitas vezes saem da igreja sentindo que a coisa toda era pesada e as fazia se sentir pior. Porque o que eles enfrentam é um desafio que eles não recebem o recurso para enfrentar.


Fonte: https://www.leadershipresources.org/

Traduzido com permissão

Tradução: Nelson Galvão


#princípiohermenêutico

142 visualizações

Prega a Palavra, insiste a tempo e fora de tempo, aconselha, repreende e exorta com toda paciência e ensino

2 Timóteo 4.2

© 2020 pela Associação Bíblica Pregue a Palavra
R. Santo Rosa, 96 - Jardim Alvinópolis, Atibaia - SP - Brasil, 12943-050

CNPJ: 15.156.924/0001-59 

Secretaria: (11) 4412.6679

Entregas de compras em até 15 dias

  • Facebook Clean
  • White YouTube Icon