Pregar o conteúdo da Bíblia não é suficiente

Por Craig Parro|



Pregar o conteúdo da Bíblia não é suficiente. O conteúdo deve levar à intenção do autor. As Escrituras são propositais ... foram escritas para um grupo específico de pessoas com a intenção de provocar uma mudança necessária (da perspectiva de Deus). Nossa nobre tarefa, como professores e pregadores da Palavra de Deus, é discernir o objetivo original do texto. Obviamente, isso requer uma leitura cuidadosa do texto e do contexto. Uma vez compreendido, o objetivo original, ou a intenção pastoral do texto, nos leva a uma aplicação biblicamente orientada para hoje. O objetivo de Deus alimenta nossa aplicação.

Infelizmente, podemos perder o objetivo de Deus por causa de dois pontos cegos.


Ponto cego nº 1. Nossos pressupostos


Nossos pressupostos são um conjunto de suposições ou pré-entendimento que trazemos para qualquer texto. Nossos pressupostos são moldados por uma ampla variedade de experiências de vida, incluindo nossa educação, teologia, educação e dinâmica familiar, bem como a vida da igreja e a afiliação denominacional. Cada um de nós tem pressupostos que nos ajudam a nos comunicar com os outros e a separar ideias e experiências que encontramos ao longo da vida. Nossos pressupostos são uma parte essencial de nossas vidas, mas ocasionalmente nos faz tropeçar, por exemplo, quando colide com um texto bíblico.


Todos nós já tivemos essa experiência: estamos lendo nossa Bíblia e, de repente, paramos e dizemos ou pensamos: “Ei, espere um minuto. Isso não está certo!” Ou, “por que o autor disse isso? Eu certamente não diria isso dessa maneira!” Ou “isso é confuso ... parece contradizer minhas convicções profundamente arraigadas”. O que está acontecendo quando reagimos dessa maneira? ... nossos pressupostos estão colidindo com o texto. O texto está desafiando algum aspecto de nossos pressupostos e não gostamos!


Nossa vulnerabilidade em momentos como esses é forçar o texto a se encaixar em nosso sistema de pressupostos. Não!!! Vamos lembrar o que acreditamos sobre a inspiração: o texto bíblico é inspirado, nossos pressupostos não são. Embora possamos ficar tentados a dar aos nossos pressupostos uma autoridade que não merecem, devemos fazer o oposto ... permitir que o texto forme e reformule nossos pressupostos. O texto bíblico deve governar!


Quando Jeremias pede que os profetas "permaneçam no conselho do SENHOR", ele enfatiza a preeminência da Palavra de Deus acima da nossa estrutura humana. Quando Deus fala em seu conselho, ele fornece sua perspectiva ... suas prioridades ... sua estrutura. Nós, como professores e pregadores fiéis, devemos ouvir atentamente e, em seguida, subordinar nossas perspectivas, prioridades e estruturas às dele.


“Pois quem dentre eles esteve no conselho do SENHOR, para que percebesse e ouvisse a sua palavra, ou quem esteve atento e escutou a sua palavra?” (Jr 23:18).


Ponto cego nº 2. Nossa Agenda


Como os falsos profetas da antiguidade, somos vulneráveis ​​a ensinar e pregar nossa própria agenda. Jeremias criticou os profetas de seus dias por falar “visões de suas próprias mentes, não da boca do Senhor.” (23: 16b)


David Jackman fornece uma ilustração útil. Se o seu carro é o seu sermão, onde está localizada a Bíblia? Está no porta-malas (ou na bota, como David diria)? Talvez você tenha levado para a frente do porta-malas, para o banco de trás? Talvez você tenha dado ainda mais destaque ao colocá-lo no banco do passageiro da frente. Mas, está em seu devido lugar... no banco do motorista? Estamos permitindo que a Palavra Dele conduza nosso sermão, estabelecendo a agenda de nosso ensino e pregação?


Podemos perder a intenção de Deus do pastoreio, apegando-nos aos nossos pressupostos ou pressionando a Bíblia com uma agenda pessoal. Considere honestamente essas perguntas preocupantes ...


1- Quando seus pressupostos tendem a colidir com textos bíblicos? Quando isso acontece, o que tende a substituir o outro ... seus pressupostos ou o texto bíblico?

2- Que destaque os textos bíblicos têm em seu ensino e pregação?


A intenção transformadora de Jeremias 23.16-32 era que os falsos profetas se arrependessem. Como esse texto se aplica a você?


Craig Parro



Craig foi diretor internacional da Leadership Resources International desde o seu ingresso no ministério em 1989. A partir de janeiro de 2010, ele passou a atuar como Presidente. Formado em TEDS (M.A., Missão), Craig é um professor estimulante e tem capacitado e incentivado pastores e igrejas nos EUA, América Latina e Ásia. Craig também atua no Conselho de Administração da TOPIC (Coalizão Internacional de Formadores de Pastores), uma associação de organizações de treinamento pastoral focada em acelerar o treinamento pastoral em todo o mundo. Craig é autor de artigos que aparecem em várias revistas. Seu primeiro livro, Unlikely Warriors, foi publicado em 1992. Ele também é co-autor de Finishing Well in Life and Ministry: God's Protection from Burnout.


Fonte: www.leadershipresources.org

Traduzido com permissão

Título original: Preaching the content of the Bible is not enough

Tradução: Nelson Galvão


#pregaçãoexpositiva

#princípiohermenêutico

#princípiohermenêutico

367 visualizações

Prega a Palavra, insiste a tempo e fora de tempo, aconselha, repreende e exorta com toda paciência e ensino

2 Timóteo 4.2

© 2020 pela Associação Bíblica Pregue a Palavra
R. Santo Rosa, 96 - Jardim Alvinópolis, Atibaia - SP - Brasil, 12943-050

CNPJ: 15.156.924/0001-59 

Secretaria: (11) 4412.6679

Entregas de compras em até 15 dias

  • Facebook Clean
  • White YouTube Icon