Os meios ordinários da graça de Deus são tudo que você precisa



Por Jeff Robinson |


Cal Ripken Junior se tornou um jogador de beisebol extraordinário por fazer uma coisa comum: ele apareceu para trabalhar. Ele fez isso várias vezes, um recorde de 2.632 vezes consecutivas. O homem da terceira base do hall da fama apareceu pela primeira vez no time titular do Baltimore Orioles em 30 de maio de 1982, em um jogo contra o Seattle Mariners, e seu nome não apareceu em 20 de setembro de 1998.


Barry Bonds se tornou uma nota de rodapé na história do beisebol ao tentar fazer algo extraordinário: quebrar as regras do beisebol. Um dos mais temidos sluggers das décadas de 1990 e 2000, Bonds quebrou um dos recordes mais consagrados do jogo — a marca eternizada de 755 home run de Hank Aaron. Mas Bonds fez isso trapaceando. Nos últimos anos de sua carreira ele usou drogas que aumentaram artificialmente seu desempenho — e inflaram seus totais de home run, permitindo-lhe passar Aaron. Para muitos fãs, Bonds é o Benedict Arnold do beisebol.


Por que começar um artigo do Blog Founders com essas anedotas do beisebol? Porque elas ilustram bem duas abordagens diferentes para o ministério — o caminho de Deus e o nosso. Na tradição reformada, a pregação, a oração e as ordenanças — o batismo e a Ceia do Senhor, têm sido frequentemente chamadas de “os meios ordinários da graça” porque formam o coração da adoração e os principais métodos de ministério em uma igreja bíblica fiel. Eles são os meios de Deus para transformar seu povo e devem formar o núcleo do ministério da igreja local.


Mas temo que, em nosso bom e correto desejo de ver discípulos feitos e a igreja de Deus construída, nos deixemos levar pelo termo “comum”. Pense em Ripken aqui, não em Bonds.


Graça não é comum


A frase “meios ordinários da graça ” pode ser interpretada como sugerindo que a obra de Deus é enfadonha e nada espetacular, mas não há nada de comum na graça de Deus. Deus usa a proclamação pública de um livro, que tem pelo menos 6.000 anos em alguns lugares, e seu Espírito para fazer com que um exército gigantesco de seus inimigos o ame e deseje se juntar a sua família. Quais são os meios ordinários da graça? Na resposta à pergunta 95, o Catecismo de Keach os define da seguinte forma:


Os meios externos e ordinários pelos quais Cristo nos comunica os benefícios da redenção são Suas ordenanças, especialmente a Palavra, o Batismo, a Ceia do Senhor e a Oração; todos os quais se tornam eficazes para a salvação dos eleitos. (Rm 10:17; Tg 1:18; 1 Co 3: 5; At 14: 1; 2: 41,42)

Há alguns meses, um homem da minha cidade me disse que havia plantado uma nova igreja. Pedi a ele que me falasse um pouco mais sobre isso. Como apenas um homem das montanhas do norte da Georgia poderia colocar, ele disse: “Bem, não é muito. Apenas pregando, orando e cantando. ‘Acho que é o bastante’.”


Bastante, de fato.


Quando tentamos usar meios extraordinários


Isso é bastante porque coisas trágicas acontecem quando trocamos os meios da graça de Deus pelos nossos — ou quando fazemos mau uso de seus meios. Pergunte aos filhos de Arão, Nadabe e Abiú. Enquanto lidavam com as coisas sagradas na adoração a Deus, eles ofereceram de modo rebelde fogo estranho no altar de Deus — um meio de adoração que o Senhor não ordenou. O resultado? Deus os vaporizou em sua ira.