Oração antes da Eloquência


Por Graham Gunden |


Cada pregador já esteve lá. Você tem o texto escolhido diante de você, você estudou e determinou o que vai ensinar a partir do texto. A questão agora é: como faço para transmitir meu ponto de vista na manhã de domingo? A pregação é mais do que uma mera palestra. É mais do que uma transferência de informações. Em A Doutrina Cristã, Santo Agostinho, seguindo Cícero, afirma que o mestre cristão “deve falar de maneira a instruir, deleitar e comover [seus] ouvintes ... instruir é uma questão de necessidade, deleitar uma questão de encanto, e mover uma questão de conquista.” (Livro IV, 74)


O pregador deve trabalhar para trazer fatos verdadeiros e relevantes para seus ouvintes a partir do texto, ele deve “deliciar-se” com suas palavras a fim de cativar sua atenção e tornar seu argumento mais persuasivo, e deve levar seus ouvintes a agirem, isto é, a que apliquem o que aprenderam com amor e obediência. Encantar e comover uma audiência pode ser uma das tarefas mais difíceis para o pregador. Mas Agostinho adverte que seu foco não deve ser dado apenas às regras da oratória e da eloquência para cumprir essas duas tarefas. Embora isso sem dúvida seja útil para o pregador e benéfico para a congregação, o que é de extrema importância quando se considera como dizer o que se deve dizer é a oração. O sucesso na pregação deve ser buscado com o melhor da habilidade do pregador. No entanto, ele deve reconhecer que todas as suas habilidades vêm de Deus. Como diz o apóstolo, "o que você tem que não recebeu?" (1 Co 4:7). Agostinho diz que o pregador “… não deve ter dúvidas de que qualquer habilidade que ele tenha, e por mais que tenha, deriva mais de sua devoção à oração do que de sua dedicação à oratória; e assim, orando por si mesmo e por aqueles que ele está prestes a se dirigir, ele deve se tornar um homem de oração antes de se tornar um homem de palavras. À medida que se aproxima a hora de seu discurso, antes de abrir os lábios que se abrem, ele deve elevar sua alma sedenta a Deus, para que possa dizer o que bebeu e derramar o que o encheu” (Livro VI, 87).


O sucesso na pregação deve ser buscado com o melhor da habilidade do pregador. No entanto, ele deve reconhecer que todas as suas habilidades vêm de Deus.


Agostinho apresenta uma razão muito boa para confiar no poder da oração acima do poder da oratória. Ele diz: “quem pode saber o que é conveniente dizer ou o nosso público ouvir em um determinado momento, senão aquele que vê o coração de todos? E quem pode garantir que dizemos o que é certo e o dizemos da maneira certa, senão aquele em quem nós e nossos sermões existimos?” Deus é Aquele que conhece todas as coisas, vê todos os corações e entende a melhor maneira de comunicar Sua verdade a cada coração. O pregador deve confiar nEle para fornecer a mensagem certa e a maneira certa de falar essa mensagem. É por isso que nosso Senhor disse: “não se preocupe como você vai falar ou o que você vai dizer, porque o que você vai dizer será dado a você naquela hora. Pois não sois vós que falais, mas o Espírito de vosso Pai que fala por meio de vós” (Mt 10: 19-20).


Há muito a ganhar com o estudo da eloquência e da oratória. Agostinho foi um professor de retórica clássica até sua conversão e subsequente ordenação ao ministério. O próprio fato de Agostinho seguir avidamente o paradigma estabelecido por Cícero ao instruir ministros mostra que Agostinho valorizava o discurso eloquente e o estudo da retórica. A prática da oratória pode tornar a mensagem mais agradável e comovente para a congregação. No entanto, ao buscar o sucesso no púlpito, o pregador deve buscar a oração antes da eloquência.

é pastor assistente na Grace Baptist Church em Cape Coral, Flórida. Ele é bacharel em estudos bíblicos pelo Reformation Bible College e está concluindo seu Mdiv no Southern Baptist Theological Seminary. Graham e sua esposa, Sarah, estão casados ​​há dois anos e têm um filho.

Texto original: Prayer Before Eloquence, in: https://founders.org/2020/10/22/prayer-before-eloquence/


Tradução: Tiago Silva

234 visualizações0 comentário